terça-feira, 27 de setembro de 2016

A HORA DAS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS NO e-COMMERCE

"Sempre que você acessa a sua conta corrente através do aplicativo do seu banco no seu Smartphone ou quando você, sentado na frente da TV acessa o site do Netflix para escolher um bom filme para o final de semana, o que você está fazendo se chama e-Commerce!"


O Comércio eletrônico está tão inserido ao nosso dia-a-dia que nem percebemos o quanto mas utilizamos dele tão normalmente que não nos damos conta. Por este uso quase onipresente, todas as resistências ao comércio eletrônico existentes no passado deixaram de existir e só no Brasil, numeros divulgados pela Câmara Brasileira de e-Commerce, indicam que em 2016 ele crescerá pelo menos 16,5%. 


O Brasil representa mais de 58% de todo movimento de e-Shops em toda a América Latina, fazendo do nosso país o verdadeiro celeiro de inovações e investimentos do resto do mundo. 

OS GIGANTES

Há mais de quinze anos, empresas como Universo On Line UOL, do Grupo Folha, Terra, Supermercados Extra e Carrefour já praticam este tipo de comércio e estão a frente dos concorrentes quando o assunto é vendas pela internet. Livraria Saraiva e Lojas Americanas são outros bons exemplos de como se fazer comércio pela grande rede com qualidade. A Saraiva diga-se, é quase sinônimo de vendas de livros pela internet no Brasil.

O que dizer do Mercado Livre? O site que começou como um site de leilões pela internet, ao modelo da gigante americana "e-Bay" hoje pratica 97% de todo seu comércio em vendas diretas. Pequenas empresas utilizam do MarketPlace do Mercado Livre para divulgar seus produtos e realizar novos negócios. È o cooperativismo nos meios digitais.

Parece que estamos chegando á era das micros e pequenas empresas no comércio eletrônico. Pequenos negõcios que não podem arcar com grandes investimentos parecem ter encontrado nesta alternativa - das lojas virtuais - um caminho para o crescimento. Senão, vejamos:

Para iniciar um negócio físico, o micro empreendedor precisa de um ponto comercial alugado, pagar imposto como IPTU, investir em estrutura, contratar pessoal e arcar com as despesas geradas pela folha de pagamento, investir em propagandas tradicionais como mídias impressas, investimento em logística e muito mais. Todo este investimento e trabalho resume-se no final do mês em um resultado de 6 a 7% de lucratividade líquida. Descontando-se ai todo o risco inerente ao negócio. 

Considere também que no caso de uma loja física, poucos índices estatísticos vão ajudá-lo a melhorar suas vendas, por exemplo: Quantas pessoas passaram em frente ao seu negócio? Quanto tempo eles ficaram olhando as suas vitrines? Depois de pedirem informação aos seus funcionarios a respeito de um produto ou serviço, qual foi o motivo da desistência da compra? 

Percebe a diferença gritante de oportunidade? Todos estes números podem e são mensurados semanalmente, diariamente e até de hora em hora, potencializando os seus investimentos em propaganda e corrigindo possíveis erros estratégicos. Uma chance enorme de sucesso !

Quando seu cliente está na sua loja ou comércio físico e tem uma dúvida, ele procura um atendente para a solucionar. E outro e mais outro. No final do dia, caso queira quantificar e qualificar estas dúvidas, quais os números e relatórios que você dispõe? A memória do seu vendedor ou balconista, não é mesmo? No sistema do seu negócio na internet, todos os contatos com clientes são instantâneos, feitos por um sistema de atendimento online e estes diálogos ficam registrados, esperando a sua avaliação para possíveis mudanças de rotas. Não é interessante?

E sabe porquê as empresas de micro e pequeno porte demoraram para acreditar neste tipo de comércio? Por resistência! Os investimentos iniciais - que atualmente são muito pequenos de verdade - os fizeram arquivar projetos maravilhosos que hoje estão se tornando realidade.

É a hora das micros e pequenas empresas. O comércio pela internet é uma realidade e nenhuma empresa pode ficar de fora. A venda de smartphones já superam as vendas de notebooks e PC´s há anos e são eles - os smartphones - os verdadeiros responsáveis pela expansão do comércio eletrônico.

Você tem um pequeno negócio? Fabrica seus próprios produtos ou tem produtos em estoque e quer aumentar as suas vendas ou mesmo começar um negócio com grandes chances de sucesso? É a hora de você ter a sua loja virtual.

E ai? Quando vamos conversar a respeito?

Temos uma excelente proposta para lhe fazer.

Forte abraço.

jcfrancez@tikqt.com.br



Nenhum comentário:

Postar um comentário